PUBLICIDADE

Responsive image

Wybson Carvalho

Recanto do Poeta

Últimas postagens

Poemas sem título

... se o teu silêncio é o idioma da tua alma, então ensurdecedor é o vocabulário de tua matéria a se negar ao que deveras sente em ambas... ...não é o seu desprezo que mudará  quem eu sou para você; por isso me conheça, verdadeiramente, no âmago do seu silêncio às pouquíssimas vezes que se lembrar de mim...! ...namorei o teu verde olhar com oferta de esperança dele ser meu, mas o...
Continuar lendo
Data:27/02/2024 14:29

Poemas extratificados

Animais e animais   Os homens do início içaram a criação; os homens do meio imergiram a inteligência; os homens de agora inventam sob ira; os homens do amanhã, não existirão. Ordens em vão   Homens ávidos à paz insidiaram a causa da ira. as armas frias e de fogo não mais mancharam o mundo, então, a intenção de viver paira em novas certezas. porém, a...
Continuar lendo
Data:21/02/2024 16:08

Poesias condenatórias e purgatórias...!

Carnaval   Abundância de carne animal repartida aos entes do teatro infernal... eis, a iguaria vadia da fantasia... mistura de utopia e alegria: homens e máscaras em memorial e sob marchas em euforia no bacanal. Quarta-feira de cinzas   Há homens derramados nas passarelas e rostos de alegria apanhadas nas sarjetas pelos foliões da última noite... momentaneamente, um período dantesco se apaga para tudo retornar à luz...
Continuar lendo
Data:13/02/2024 09:28

Poesias existenciais

Poesia à luz  Escrevi-te e transportei-te à ética do pensamento ao branco papel eis, pois, a alma poética sob expulsão do útero verbal à existência constituída em eterno livro memorial! Tua carne  Eis, a densa porção avermelhada em 1/3 da tríplice matéria na qual tua alma está acasalada e imersa na vermelha vida em sangue!   Destinação  O azul...
Continuar lendo
Data:06/02/2024 14:00

Poemas da alma ao indivíduo

Valsa do descompasso   Quando meus passos estiverem bailando de um lado para outro, a personalidade dos indivíduos será  abalada ao prosseguir nas vias estáticas  do comportamento social. Oferta à vida  Haveria prata, ouro e diamantes, se eu preferisse caminhar certo pelos tortos e estabelecidos caminhos pautados em tua ambiência. mas,  vesti-me do nada e rumei por veredas aziagas do meu inferno existencial a...
Continuar lendo
Data:30/01/2024 15:54

Poemas confessos

Um réu ao cálice de fel   Os pecados que são imputados ao homem são cores afóticas  como o olhar demoníaco nas trevas... porém, ele vê a vida caída num esgoto de água turva. então, em seu suicídio inundado, sua  alma não será perdoada pela ira infernal. Amputação   O que tiram de mim não farta a lacuna da ganância ao alheio: se...
Continuar lendo
Data:23/01/2024 16:41

Poemas sociais

O poder   Poder é sempre um espelho a refletir imagens: reais – dos que o detêm para aqueles que o querem irreais – daqueles que o querem, mas não o têm. Iguaria real   Em mim há uma porção negra: confusão de minha origem ao apuro da morte - qual vela apagada à existência. Opus caxiense   Caxias, palco invadido por claques outros a marginalizar teus nativos artistas, em teu...
Continuar lendo
Data:16/01/2024 14:15

Poemas sem títulos

 I ... apague a luz da noite na tua face ao fechar as duas estrelas luminosas dos teus olhos e repouse em um sonho a renascer...! II ... amo o perfumado silêncio das flores nos jardins, pois ele me diz o que as almas calam em seus desejos ...!
Continuar lendo
Data:08/01/2024 16:41

Ainda há dias pandêmicos em Caxias

...ainda há um aroma de flores  caídas no chão das manhãs, tardes e noites dos dias existenciais à pandemia. ...ainda há um ar velórico tal qual o ensurdecedor silêncio de finados sem o badalar dos sinos da Igreja de São Benedito, acordando o segredo de sonhos  embriagados à solidão dos bares ao entorno da Praça Vespasiano Ramos. ...ainda há uma angustia com sensação de um medo...
Continuar lendo
Data:02/01/2024 14:53

Poemas ao fazer e ser literário

Enigma editorial   O verso apodrece qual verme habitante  nas vísceras da fome e o poeta se faz pecado. é pois,  a angústia indigesta sob a ânsia de vômito em pedaços do verbo derramado ao papel. Opção  Fui, sou e serei o filho não pródigo sem casa para retornar e sob um sol de brasas, outros passos levam minha alma - queimada e acasalada – nos dias sem querer descanso e na...
Continuar lendo
Data:28/12/2023 08:31


< Anterior Próxima >
Página 1 de 27

PUBLICIDADE

Responsive image
© Copyright 2007-2019 Noca -
O portal da credibilidade
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelo Google:
A Política de Privacidade e Termos de serviço são aplicados.
Criado por: Desenvolvido por:
Criado por: Desenvolvido por: