PUBLICIDADE

Responsive image

João Lopes

Diário da Princesa

Inaugurado prédio da Reffsa: história que começou com a montagem do trecho entre Caxias e Timon da ferrovia


O prédio da Reffsa no Centro de São Luís, que era uma antiga estação ferroviária e depois abrigou o Plantão Central da Polícia Civil, se tornou desde a última quinta-feira (12) um complexo cultural e mais um cartão-postal para a capital ludovicense. 

Segundo o secretário de Estado da Cultura, Anderson Lindoso, a instalação do Museu Ferroviário e Portuário do Maranhão: do trilho ao mar dentro da Reffsa é de grande relevância para a memória local. “É super importante para a história ferroviária do Maranhão, uma história que começou ainda no século 19, com a montagem do trecho entre Caxias e Timon da ferrovia, e foi concluída já no século 20 com a finalização do trecho São Luís/Teresina, chegando aqui até este prédio da Reffsa, da antiga estação ferroviária. Hoje nós estamos requalificando esse prédio para que ele funcione como um memorial, um museu que vai lembrar a história dessa construção, a história da Reffsa, mostrando a importância desse meio de escoamento da produção do Maranhão que funciona até hoje e até hoje traz muitos lucros para o nosso Estado”, pontuou o secretário.

Segundo o governo do estado, o complexo cultural vai reunir, em um só lugar, um museu ferroviário e portuário, um polo tecnológico para desenvolvimento de startups, além de uma série de outros atrativos para maranhenses e turistas, como sorveteria, cafeteria, vídeo mapping e decoração natalina.

“Agora promovemos uma restauração completa para sediar desde o Museu Ferroviário e Portuário do Maranhão, resgatando a dimensão da vida econômica e social nosso estado, até outros espaços como a locomotiva hub, um espaço que será de integração entre pesquisas acadêmicas e os trabalhos das empresas. Teremos, ainda, espaços de lazer, de convivência comunitária, com a integração de várias políticas mediante uma ação de difusão cultural, preservação do patrimônio, da cultura para com isso podermos valorizar aquilo pertence ao povo do Maranhão”, disse o governador Flávio Dino na cerimônia de inauguração do prédio.

A reforma do prédio da Reffsa é a fase final da revitalização do Complexo Ferroviário da Avenida Beira-Mar. Em 2018, foi feita a reforma da Praça Gomes de Sousa e implantou a Praça Joãosinho Trinta.

Restauração

De acordo com o governo, o processo de restauração do prédio histórico foi desenvolvido por uma equipe multidisciplinar, envolvendo o trabalho de historiadores, sociólogos, engenheiros e arquitetos, obedecendo as características originais do prédio.

A intervenção contemplou serviços de demolição, recursos de acessibilidade, elevador, novas esquadrias, pisos, recomposição de paredes, fachadas, construção de rampa, escada e mezanino, restauração de grades, dentre outros.

A obra de requalificação da Reffsa custou R$ 7,5 milhões, oriundos do Tesouro Estadual.


Colunas anteriores

Caxias presente simultaneamente na história dos dois maiores símbolos da nação brasileira

A Bandeira brasileira em Brasília (DF)   Na semana passada, exatamente no dia 19 de novembro, se comemorou o Dia da Bandeira Brasileira. Em alusão à data, o jornalista e escritor Edmilson Sanshes lembra que "a cidade maranhense de Caxias é provavelmente a única a estar presente simultaneamente na história dos dois maiores símbolos da nossa Nação -- a Bandeira e o Hino".   A bandeira é uma...
Continuar lendo
Data:27/11/2020 06:14

Inaugurado prédio da Reffsa: história que começou com a montagem do trecho entre Caxias e Timon da ferrovia

O prédio da Reffsa no Centro de São Luís, que era uma antiga estação ferroviária e depois abrigou o Plantão Central da Polícia Civil, se tornou desde a última quinta-feira (12) um complexo cultural e mais um cartão-postal para a capital ludovicense.  Segundo o secretário de Estado da Cultura, Anderson Lindoso, a instalação do Museu Ferroviário e Portuário do...
Continuar lendo
Data:18/11/2020 21:18

Cid Moreira interpreta uma das poesias mais famosas de Gonçalves Dias

No ano passado, a voz marcante do jornalismo brasileiro, Cid Moreira, iniciou a publicar narrações de poemas em suas redes sociais. Os autores escolhidos são os de domínio público, para que não haja problemas com direitos autorais. O caxiense Gonçalves Dias está na lista. Assista:  
Continuar lendo
Data:12/11/2020 09:57

PUBLICIDADE

Responsive image
© Copyright 2007-2019 Noca -
O portal da credibilidade
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelo Google:
A Política de Privacidade e Termos de serviço são aplicados.
Criado por: Desenvolvido por:
Criado por: Desenvolvido por: