PUBLICIDADE


Mundico e a Piscina do Seu Dá


Corriam os anos de 1950 quando o empresário Alderico Jefferson da Silva (1908/2005) construiu seu casarão que batizou de ‘Palacete Castelo’. O nome não era à toa, pois de fato aquela casa se assemelhava a uma construção das realezas devido a sua imponente arquitetura e, principalmente, pela torre que se destaca naquela volumetria.

A casa que conhecemos atualmente não é a que foi entregue no dia de sua inauguração. Só alguns anos depois é que o ‘Seu Dá’ construiu o seu belo jardim do outro lado da casa. Para isso foi necessário demolir alguns imóveis que pertenciam a ele próprio. A esse novo jardim ele deu um novo paisagismo com o piso inspirado no design das calçadas de Copacabana, a famosa praia do Rio de Janeiro. E nesse espaço foram construídas duas piscinas, uma para adultos e outra menor para crianças. A primeira casa de Caxias a ter uma piscina. Imagine só a população curiosa passando em frente aquele imóvel e espiando a piscina por aquele muro baixo. Deve ter sido uma atração pitoresca para o caxiense naquele período. Foi construído também um bar de apoio aquela área de lazer, desenhado e executado de forma modernista com linhas curvas nas lajes, pilotis e ladrilhos hidráulicos.

Acontece que a piscina do Seu Dá começou a vazar. Muitas foram as vezes quem que o empresário chamara um experiente engenheiro para resolver este problema, mas o vazamento sempre voltara. “Chama o Mundico”, exclamou Seu Dá a seu motorista, que rapidamente obedeceu a ordem do chefe.

Raimundo Nonato Teixeira Santos, ou Mundico Santos (1917/1993), artista autodidata, já era uma celebridade pelas suas obras na pintura e escultura, expondo seus trabalhos até fora do Maranhão. Da mesma forma que aprendera a arte do desenho ele aprendera a trabalhar na construção civil como construtor, uma espécie de mestre de obras. Ele já havia trabalhado na construção do Palacete Castelo sendo responsável pela fonte luminosa (possivelmente onde atualmente está a piscina). Também sempre prestara serviços a Alderico Silva, como responsável pelo paisagismo do Hospital Miron Pedreiras e em obras de seu Armazém Caxias.

- Mundico, corre aqui – Comentou Alderico Silva descendo a rampa do casarão com seu cigarro com biqueira de ouro e mostrando preocupação. Os fins de semana de sua família estavam sendo prejudicados por uma rachadura na piscina.

“Pode uma coisa dessas? Gastei uma quantia volumosa de dinheiro e agora não posso nem usar minha piscina que está vazando. Vou ter que ir para a Piscina do Ponte para banhar? Você pode resolver isso, Mundico?”

Como muitas das vezes em que foi chamado para situações semelhantes, Mundico só balançou a cabeça afirmando que sim e falou: “Só me dê o material”.

E assim foi feito, ou melhor, Mundico fez. E nunca mais a piscina do Seu Dá apresentou rachaduras.

A piscina e área de lazer do Palacete Castelo. As linhas curvas e charmosas do modernismo em contraste com a arquitetura eclética caxiense. Imagem: Acervo Eziquio Barros Neto.


Colunas anteriores

184 anos de Caxias

Neste domingo, 05 de julho, Caxias completa 184 anos em que fora elevada a categoria de cidade. A data é o dia em que se comemora de forma oficial o aniversário da cidade muitas vezes confundida com o 1º de agosto, data de nossa adesão a independência do Brasil, ocorrida em 1823. As cidades surgem de diversas formas, sejam planejadas em torno de um ponto de referência como um forte militar, rios ou no litoral. Caso de São Luís, fundada em...
Continuar lendo
Data:03/07/2020 16:55

Mundico e a Piscina do Seu Dá

Corriam os anos de 1950 quando o empresário Alderico Jefferson da Silva (1908/2005) construiu seu casarão que batizou de ‘Palacete Castelo’. O nome não era à toa, pois de fato aquela casa se assemelhava a uma construção das realezas devido a sua imponente arquitetura e, principalmente, pela torre que se destaca naquela volumetria. A casa que conhecemos atualmente não é a que foi entregue no dia de sua...
Continuar lendo
Data:25/06/2020 15:27

Hotel Café Pic-Nic

A criatividade sempre foi uma qualidade do caxiense, terra fértil para o talento artístico, ainda mais naqueles idos do final do século XIX. Muitas dessas características se encontram nas publicações dos jornais, principal fonte de informação da cidade naquele período. O jornal Gazeta Caxiense (nº 45 de 25 de julho de 1893) traz em suas colunas comerciais um anúncio curioso do Hotel Café Pic Nic, situado no Largo...
Continuar lendo
Data:19/06/2020 12:00

PUBLICIDADE

Responsive image
© Copyright 2007-2019 Noca -
O portal da credibilidade
Este site é protegido pelo reCAPTCHA e pelo Google:
A Política de Privacidade e Termos de serviço são aplicados.
Criado por: Desenvolvido por:
Criado por: Desenvolvido por: